menu
Topo
Papo de Bar

Papo de Bar

7 coquetéis para beber nos bares onde foram criados

Marcelo Sant'Iago

06/02/2019 15h09

Alguns coquetéis clássicos foram criados há mais de 100 anos e, até por isso, é difícil de estabelecer quem o criou, onde e quando. Mas, há outros bem tradicionais e também criados no século passado cuja origem é bem conhecida. E o que é melhor: você ainda pode bebê-lo no bar onde ele surgiu. Em alguns casos, até mesmo com quem o criou, como o clássico contemporâneo Penicillin. Eis uma listinha para você anotar e, quem sabe, visitar em sua próxima viagem ao exterior.

Penicillin (scotch whisky, Islay single malt whisky, xarope de gengibre)

Sam Ross no balcão do Attaboy, em NY (2015)

Criado por Sam Ross, quando era bartender no Milk&Honey no Lower East Side, em Manhattan. O bar fechou, mas no mesmo lugar Sam Ross abriu  o Attaboy (134 Eldridge St, New York), que hoje é 15o. na lista World's 50 Best Bars. Sam continua no balcão algumas noites por semana. Dei sorte e já tive o privilégio de beber das mãos dele, em minha primeira visita ao Attaboy. Havia tomado antes no Milk&Honey, mas não feito por ele.

Hanky Panky (gin, vermute doce tinto, Fernet Branca)

Hanky Panky envelhecido em barril de carvalho, no American Bar do hotel Savoy (2017)

Criado por volta de 1900, no American bar do Hotel Savoy em Londres, pela então chefe de bar Ada Coleman. O bar está no mesmo lugar e hoje é um dos melhores do mundo (ficou em primeiro lugar em 2017 e em segundo em 2018 na lista World's 50 Best Bars). Uma experiência imperdível para o fã de coquetelaria durante uma visita a Londres. Há uma versão envelhecida em barril bem saborosa e outra com ingredientes vintage, que custa algumas centenas de libras.

Boulevardier (bourbon whiskey, Campari, vermute doce tinto)

O Harry's New York Bar (5 Rue Daunou), em Paris, é o mais antigo bar de coquetelaria em funcionamento na Europa. O drink foi criado por Harry McElhone, na década de 20, em homenagem a Erskine Gwynne, que era editor de uma revista mensal chamada Boulevardier. No mesmo bar, você também pode experimentar o Scofflaw, clássico criado na década de 30, durante a Lei Seca nos EUA. Há quem diga que  Bloody Mary também foi criado lá, por Fernando Petiot, mas há controvérsias.

Scofflaw no Harry's New York Bar, em Paris (2017)

Vieux Carré (rye whiskey, conhaque, licor Bénédictine D.O.M, vermute doce tinto, Peychaud's Bitters, Angostura Bitters)

Carousel Bar, hotel Monteleone, New Orleans (2016)

O Carousel Bar, no Hotel Monteleone (214 Royal St), no tradicional French Quarter em New Orleans, é uma atração por si só, graças a seu balcão giratório, que dá uma volta completa a cada 15 minutos. O Vieux Carré, um dos meus coquetéis favoritos, foi criado lá, por Victor Bergeron, em 1938. Os bares em New Orleans abrem às 11 da manhã.

Estes três bares seguintes ainda não tive o prazer de visitar:

Singapore Sling (gin, licor Cherry Heering, licor triple-sec, licor Bénédictine D.O.M., suco de limão, suco de abacaxi, grenadine, Angostura bitters)

Criado entre 1899 e 1915, por Ngiam Tong Boom, no Long Bar do Raffles Hotel (1 Beach Rd), em Singapura. Depois de anos servindo a receita com um sour mix artificial, o bar foi reformado e parece que voltou aos trilhos e está usando ingredientes frescos.

Bellini (purê de pêssegos brancos frescos e prosecco)

Esse elegante coquetel foi criado por Giuseppe Cipriani, no Harry's Bar (San Marco, 1322), em Veneza (nada a ver com o de Paris), em 1945. O bar era frequentado por Ernest Hemingway e Charles Chaplin, entre outros bebedores famosos. Programe-se: a receita leva pêssegos brancos frescos, que só estão disponíveis de maio a setembro. De quebra, você também pode experimentar o Carpaccio, criado no mesmo local, também por Cipriani.

Negroni Sbagliato (espumante, vermute doce tinto, Campari)

Criado em 1968 em Milão, por Mirko Stocchetto, no Bar Basso ( Via Plinio, 39). Ele errou a receita original do Negroni (gin, vermute, Campari) e usou espumante no lugar de gin. O coquetel é servido em uma taça enorme, de 1 litro.

 

Saúde!

Siga-me no Instagram @marcelosant_iago

Sobre o autor

Marcelo Sant'Iago é publicitário e editor no Brasil do Difford's Guide, maior site de receitas de coquetel do mundo. Fã das Aventuras de Tintim, passa boa parte do ano visitando os melhores bares e eventos no exterior, em busca de novidades e tendências que possam ser compartilhadas para trazer aprimoramento ao mercado brasileiro de coquetelaria. Recentemente foi homenageado com um drinque no Sub Astor, o Sant'Iago Fashioned. Ele é colaborador de revistas, consultor e o único brasileiro a fazer parte do Drink Tank, primeira rede global de inteligência voltada para a indústria de bebidas.

Sobre o blog

Pense no balcão do seu bar favorito, aonde você toma bons drinques, conhece pessoas interessantes, conta casos, aprende sobre coquetelaria com bartenders e descobre novos bares para o próximo gole. Saúde!